Blog

Blog

Depoimento e lançamento de livro que conta a experiência de uma mãe com seu filho.

Editor do Portal 26 de dezembro de 2015 Blog, Depoimentos, Multimídia 16 comments
featured image

Maione Rodrigues Batista é mais uma dessas mães guerreiras, que lutam por seus filhos que adoeceram com a esquizofrenia, garantindo a eles o tratamento, o cuidado, o amor e, sobretudo, lutando junto com eles para que se recuperem. Maione foi além, ela transformou a dor e o sofrimento, em uma missão de vida. Além de cuidar do seu filho, que ainda hoje luta para superar a doença, ela decidiu ajudar as pessoas com o mesmo problema.

Ela fundou a Casa Hollos, em Belo Horizonte (http://casahollos.com.br), que oferece hospedagem e atividades terapêuticas, como arteterapia, psicoterapia individual e em grupo, inclusive para a família, organiza passeios e promove a integração social das pessoas que lhe procuram.

news_13 Maione conta que sua experiência foi fundamental para a criação do espaço. Depois da morte de seu irmão, que era esquizofrênico, viu seu filho adoecer aos 15 anos. Após relutar em aceitar que o diagnóstico era o mesmo do seu irmão, peregrinou por vários serviços com seu filho numa busca incessante para o melhor tratamento. Andou por diferentes cidades e estados. Percebeu a necessidade de um tratamento integral para a esquizofrenia, que muitas vezes não lhe fora oferecido. Até decidir estudar mais sobre o assunto e partir para o desafio de criar sua própria abordagem holística de tratamento. A Casa Hollos tem o objetivo de “cuidar do portador de doença mental, e também apoiar a família, pois sei que o sofrimento é conjunto, todos que estão ao redor participando da situação se desgastam com a doença”, diz.

Em 2015 decidiu colocar sua experiência e história de vida com seu filho no livro “Meu filho é esquizofrênico”, escrito com a jornalista Vilma Fazito e lançado com o selo da editora Água Branca.

Nos vídeos abaixo Maione dá seu depoimento de como é sua luta.



16 comments

Julio Cesar dos Santos - 26 de dezembro de 2015

Eu também escrevi um livro, e conto um pouco a minha relação com a esquizofrenia. Enfim, é a esquizofrenia na visão de um portador. Maiores informações acesse o blog Memórias de um esquizofrênico
http://memoriasdeumesquizofrenico.blogspot.com.br/2015/09/adquira-o-livro-mente-dividida-atraves.html

duca - 27 de dezembro de 2015

Tenho um filho q também sofre dessa doença…nao açeita tratamento…sofro muito com isso!!!preciso de orientação

ESTER - 27 de dezembro de 2015

Também convivo com um filho de criaçao que tem esquizofrenia, e cómo verdadeira mae, por opçao; acho que temos que fazer de tudo por nossos filhos.
A 20 anos que cuido delle sozinha, correndo atrás de tudo tipo de imformaçao, em todos os campos, espirituais, psiquiatricos, psicologicos( que nem todo mundo pode); sempre foi medicado, e nunca fui agredida,
Sim muito educado, um doce de criatura, mais nunca quis ser andarilho; gosta de estar na sua casa.
Mais ao ver o seu sufrimento, que nos pensamos que está sofrendo, o meu fica em segundo plano, claro que sim deixar de lado os meus cuidados pessoais.
Nos somos maes escolhidas pelo SENHOR, pela coragem para levar emfrente essa situaçao.
Existem varias instituiçoes que cuidam desses pacientes pelo SUS, pelos convenios médicos, e logicamente de forma particular, para quem pode dar toda uma estrutura diferenciada a eles.
E uma situaçao muito triste, como tantas outras doenças crónicas, e muitas imformaçoes; de forma gratuita que podemos conseguir, além de bons profesionais com BOM CORAÇAO, HUMANOS, que conseguem ayudar as pessoas necessitadas. quem precisar e fácil de se informar.
Seguiremos nessa luta, com amor, paciencia, benevolencia; uma qualidade de vida para o paciente melhor dentro do possivel.

Ana Paula Gouveia Damaso - 27 de dezembro de 2015

tenho a minha filha com o diagnostico de esquizofernia psicotica violenta. nossa ja vi e assisti a coisas terriveis. estou sempre ouvindo mae te amo e logo a seguir mae te odeio. nao esta a ser facil ate porque, sei muito pouco sobre a doenca, estou vivende esta situacao ha muitos anos. neste momento tenho a minha filha internada desde Outubro. gostei mt de ouvir este blog obrigada por me ajudarem a entender um pouco mais este problema.

Ailda Morais de lIma - 28 de dezembro de 2015

Ola sou Ailda Morais moro em Goiânia, cuido do meu irmão, Ernesto Gomes de Morais, há quatro anos que ele aceitou o tratamento desde então ele tem tido uma vida mais digna, pois fui atráz de tratamento para ele, no Caps Beija Flor em Goiânia,com as medicações esta melhor, não como quero, mas pelo menos ele tem o canto dele, a cama, o quarto, os remédios os médicos que tratam dele com amor, e muito triste ver a solidão que eles insistem em ficar trancados em si, tento ajuda-lo, conversar, levar a passeios, a Igreja, mas como ele diz, tanto faz tanto fez, mas não o deixo e espero que ele um dia sai desse mundo triste e sombrio que é a Exquizofrêmia.

Kelly - 29 de dezembro de 2015

Eu também tenho um filho, hoje com 13 anos que aos 09 anos foi diagnosticado de esquizofrenia. Sempre foi medicado e faz acompanhamentos com psicóloga, psiquiatra, entre outros profissionais, Ele já teve surtos, já falou várias vezes com a psicóloga que tem vontade de me bater, e falou comigo que teve vontade de me matar. Sei que essas falas não são ditas quando ele está normal, porque é um anjo de menino. Atualmente estou buscando ajuda para mim no grupo do Amor Exigente. Vamos levando da melhor maneira possível, comprei também o livro Entendendo a Esquizofrenia, que tem me ajudado bastante. Nunca me afasto de Deus, pois sei que só Ele pode ajudá-lo e a mim também acima de qualquer coisa ou de qualquer pessoa!

Editor do Portal - 30 de dezembro de 2015

Duca, recomendo que leia livros a respeito, principalmente aqueles voltados para a família. Existem alguns no Brasil. Depois de buscar a informação, sugiro que encontre outras famílias para compartilhar essas experiências. Existem grupos de auto-ajuda, tanto presenciais como virtuais. Ou procure em algum CAPS ou hospital psiquiátrico de sua cidade um grupo de família. Trocar a experiência ajuda muito a encontrar soluções.

luiz - 2 de janeiro de 2016

boa tarde a todos!sou esquizofrênico e sinto-me muito bem em ver que existem pessoas preocupadas com os portadores.muito obrigado a todos

roseli furtado - 4 de janeiro de 2016

tenho um filho de onze anos q aos oito foi diagnosticado como esquizofrênico, faz tratamento desde os cinco com psicólogo, psiquiatra, entre outros…faz uso de psicotrópicos, ele é lindo, tem o melhor sorriso, e eu aprendo muito c ele a cada dia….meu guerreirinho mais lindo e forte…

maione - 2 de fevereiro de 2016

Visite o site
casa hollos.com.br
leia o livro Meu Filho é Esquizofrênico.

Margareth - 8 de fevereiro de 2016

Moro em Valinhos e gostaria q alguem me contatassse por e mail meu filho tb esquizofrenia e preciso de ajuda emocional

TERESA DIEGUES - 3 de maio de 2016

Quem ouve as declarações desta mãe, não fica com a melhor ideia da doença. Nem todas as pessoas que sofrem de esquizofrenia têm de falar com o chão, paredes e flores. Que raio de descrição dos sintomas mais absurdo!!!

TERESA DIEGUES - 3 de maio de 2016

Fiquei espantada com as declarações desta mãe! Contraria em quase tudo, o que é dito e explicado em todos os documentaries do Entendo a Esquizofrenia.
Esta senhora tem graves problemas psiquicos e deve ser tratada. Só assim poderá ajudar o filho.
Como é que é possivel , sendo este um site de ajuda, postarem esta entrevista que é completamente deprimente e desencoradora para todas as pessoas que lidam com a doença.
Se o objectivo era fazer publicidade ao livro, temos pena, mas não fizeram!

cristiane - 6 de agosto de 2016

Boa Noite!Meu filho de 18 anos começou a ter disturbios diferentes,desmotivação ,desorganização até ter um surto que de inicio era “Sindrome do panico”,na realidade quando levei ele em um Caps para consuta com um Psiquiatra ele disse que era Esquizofrenia, meu irmão sofre da mesma Doença ,e a pouco menos de um mes soube que o pai está em tratamento .É muito dificil a aceitação por que a pessoa fica no mundo que ela mesmo cria,e suas atitudes variam muito,peço se alguém puder me ajudar ,me explicar como lidar melhor com ele oque eu faço para ganhar a confiança dele ,ele é super Educado com as pessoas de fora ,comigo ele tem pouco Dialogo e fala muito pouco ,não é sociavél e não faz muitas amizades está tomando respiridona e Diazepam ,tinha parado o tratamento agora voltou a fazer por que estou em cima para ele tomar os remedios a recaída foi terrivél ele queria ir embora da minha casa ,não falava nada com nada ,Sofri e chorei muito,mais consegui dar avolta por cima.Quero dar a ele todo o conforto possivel para que ele não saia da minha casa ,e ter controle de tudo que ele faça mais preciso de uma Orientação de como fazer isso se estou certa ? Se devo agir assim,ele nunca me agrediu,até porque eu não aceio que ele me trate com falta de respeito mais vejo que ele não demostra afetividade por mim.Acho muito estranho mais agora vejo que isso nele é normal,precisamos aceitar as diferenças.Mais não é Fácil.Ele tem Tiques a pouco dias teve paralisia Facial,por que estava em Crise.Obrigada espero poder contar com a ajuda de voces .Quero que meu filho viva comigo e não saia de perto de mim tenho medo de perder ele,esse é meu maior Medo.Obrigada!

Patricia - 6 de agosto de 2016

Olá sou estudante de Serviço Social estou no 6º semestre e irei fazer meu TCC voltado para a família , que convive a esquizofrenia , enfim quero adquirir o livro da Maione e não encontro , será que alguém pode me informar onde posso adquiri lo. “Livro Meu filho é Esquizofrenico”Obrigado

Editor do Portal - 30 de agosto de 2016

Cristiane, procure literatura a respeito da doença e se informe, esta é a maior ferramenta que o familiar pode ter. Procure por grupos de apoio, pode ser no CAPS ou na comunidade. Sugiro ler o nosso livro http://entendendoaesquizofrenia.com.br/website/livro-entendendo-a-esquizofrenia-como-a-familia-pode-ajudar-no-tratamento/

Add your comment