Blog

Blog

Depoimento de Wilson ajuda a desmistificar a esquizofrenia e mostra que recuperação é possível.

Editor do Portal 11 de março de 2014 Blog, Depoimentos, Multimídia 21 comments
featured image

Wilson Fraga tem mais de 10 anos de convívio com a esquizofrenia, já passou por várias crises e internações e hoje considera-se recuperado. Ele precisou conhecer a doença para alcançar um nível de maturidade que o permitisse mudar sua vida, fazendo escolhas mais saudáveis e que contribuíssem para seu bem estar.

Mesmo medicado e considerando agora estar bem equilibrado, ele reconhece que a esquizofrenia possui gatilhos ambientais que podem resultar em recaídas e que, como se faz com um exército inimigo, é necessário conhecer bem os “fronts” em que ele ataca para saber as melhores estratégias para prevenir futuros problemas.

Mas mesmo com a doença, Wilson diz não se envergonhar, que o preconceito que as pessoas têm não é justificável e que ele leva uma vida feliz ao lado de sua esposa e de sua família, procurando extrair da vida o que há de melhor. Esse depoimento vale a pena ser assistido e que possa servir como uma injeção de ânimo para aqueles que ainda não encontraram a esperança de se recuperar e de levar uma vida normal. Obrigado Wilson pela coragem de vir a público dividir conosco sua experiência!

Leia também o depoimento por escrito do Wilson, contando toda a sua trajetória.

Fonte: O depoimentofoi ao ar pelo Programa Sala de Debate, da TV Futura, em fevereiro de 2014.

21 comments

celia - 11 de março de 2014

Parabéns Wilson, pela coragem de compartilhar sua experiência.

FERNANDO - 12 de março de 2014

mudança de personalidade
perda do sono
acerto na medicação
compreensão da doença.

Claudia C Moreira - 12 de março de 2014

Olá, Boa tarde, ADOREI o programa, Parabéns Dr Leonardo, Obrigada, Wilson, você é inspiração para todos nós.

Daildo Magalhaes - 12 de março de 2014

Eu já considero curado, escrevi um livro, o melhor uma autobiografia que termina assim: . Eu tenho um problema, vou morrer com esse problema, mas não desse problema. Estou adorando os depoimentos um dos maiores problemas é o preconceito…

Adriana - 13 de março de 2014

Que bom Wilson que vc conseguiu, fiquei muito feliz por saber que tem alguém que reconhece ter a doença, gostaria muito de fazer com que meu irmão também reconhecesse que ele é portador da doença, mais ele se nega a aceitar não é fácil, mais estamos ai lutando.
Ele também tem a doença a mais de 10 anos, já teve dois surtos fortíssimos, inclusive nos surtos ele sempre acha que tem alguém seguindo ele e a partir dai é que ele se torna um pouco agressivo, no primeiro surto ele sumiu quase 24 horas ficou dentro de uma mata e tentou se matar tanto que quando encontramos ele os pés tinha muitos espinhos e o pescoço estava com marcas rocha porque ele tentou se matar, já no segundo surto, ele tentou matar o vizinho, então hoje ele toma a injeção Invega Sustenna de 100mg.
Aproveitei que ele tem problema de coluna para convencê-lo que é para coluna então, não é fácil mentir para ele, mais todas as vezes que ele soube para que eram as medicações ele parou de tomar passamos a inserir na alimentação, mais o resultado não é o mesmo e foi horrível dias sem dormir e então ele passou a mudar, em tudo a fisionomia, comportamento por se sentir persseguindo.
Então inventei um receituário falso falando sobre problema de coluna fotos citando local de dores e coloquei o nome da medicação e então por ele confiar muito em mim por me fazer acreditar no que ele estaria vendo, ele aceitou em uma boa.
Há dez meses estou lutando na justiça para conseguir esta medicação mais não esta sendo nada Fácil, ele já tomou 11 injeções: sendo 2 amostra GRATIS que o medico dele que é um excelente médico aqui no estado conseguiu, 4 conseguiu bloqueando a conta do estado judicialmente e nós meses que não consegue, que até agora foram 5 injeções, somos nós irmãos que compramos e não é FÁCIL você comprar uma medicação que se encontra no valor de R$ 1.189,00.
Por ser uma medicação ótima que tem pouquíssimos efeitos colaterais ele toma numa boa, lógico pq acha que é para coluna.
Ele não gosta de falar sobre o assunto nem da internação que foi horrível ver ele dentro daquele lugar, tanto que eu e meus irmão colocamos em um dia e tiramos com dois dias, porque nos pensamos que fossemos pirar e não queríamos que nossa mãe fosse lá enfim.
Então nós mesmo ganhando pouco, tendo nossas obrigações e endividados porque só sabe quem trabalha para sobreviver, já estamos aflitos pensando na injeção do mês de abril, mais sabemos que em 1º lugar está a medicação.
So hoje sabemos o que minha mãe passou com meu pai a 37 anos atrás com muitos filhos pequenos na roça sem estrutura, sem estudo tendo seus direitos lesados e as pessoas que estão ao seu redor ao invés de te ajudar sai falando sem nem se quer tentar ajudar de alguma forma.
Uma coisa que me deixa ainda mais triste é ver, que é uma doença que acarreta seriíssimas conseqüências, da direito ao paciente de medicação benefícios, e quando você vai atrás de tudo isso, em alguns locais as pessoas até riem da sua cara, e se ele disser algo contrario do que realmente, as pessoas ainda dizem que você que tem que procurar tratamento.
Então não só o paciente, mais os familiares também sofrem bastante com cada situação.
Porque não são todos os órgãos, independente de ser público ou privado, que tem pessoas qualificadas para lidar com a esquizofrenia, principalmente quando se trata de um esquizofrênico bipolar que é o caso dele.
Desculpem pelo desabafo, é que as vezes não temos com quem desabafar sobre estes assuntos.
Parabéns Wilson tiro o chapéu para você!

Maria cristina - 14 de março de 2014

O maior problema que enfrentamos é o preconceito. Quero trabalhar mas não me permitem, sei da minha caapacidade mas ela é colocada em dúvida por causa da doença.

Ana - 27 de março de 2014

Adriana vc poderia me conseguir material para entrar
também com ação em favor de irmã que precisará do mesmo
medicamento ?

Graciela - 29 de março de 2014

Adorei.. Wilson é uma inspiração!! acredito que meu irmão, que é bem jovem ainda, superará também, ele aceitará a doença e voltará a ter uma vida mais animada e feliz, terá renda e até uma família. Obrigada pela entrevista!!

Sonia Maria Mattoso de Moura - 7 de abril de 2014

Olá Wilson, parabéns pelo seu depoimento e quero parabenizar a esposa que vc tem, O amor no relacionamento é o remédio que lhe dá ânimo a vida o compartilhar com uma pessoa querida é fundamental , mas não quero tirar o seu desempenho e determinação. Sonia

vilma - 5 de junho de 2014

Parabens Wilsom pela sua coragem eu sou epletica e tambem sobri muito com o preconceito das pessoas ate conhecer a doença hoje faço de tudo normalmente tenho carta de motorisa e tudo mais,agora tento passar esta força pro meu filho que a tres anos começou ter crises de esquisofrenia ,e nao aceita o tratamento,so toma os remedios quando acha que nao esta agindo normal obrigada.

Célia Batista Cagliari - 18 de agosto de 2014

Parabéns pelo seu depoimento e tenho certeza de que vai ajudar muitas pessoas que estão passando por isso no momento. Tenha bastante força e fé, vencendo um dia de cada vez!!

sinval jose vieira - 20 de outubro de 2014

caros amigos que enfrentam essas dificuldades, não sou esquizofrenico mas me condó-o com todos vocês.Sei que vocês buscam soluções de diversas maneiras, isso é muito bom. Não sou medico e nem psicólogo, meus conhecimentos não passa do livro que li entendendo a esquizofrenia. Gostaria de poder ajudar mais a todos vocês nesta área, mas em termos profissionais tenho minhas limitações. Mas nem por isso me empede de tentar ajudá-los.Sou espírita e acredito na vida além da vida, e como espirita vejo que muito dos seus males provem de outras reencarnações, sei que é dificil vocês acreditarem nisso, mas não custa nada vocês lerem a respeito disso, uma vez que vocês busquem a reposta pra esse problema, a doutrina espírita não vai curá-los desse mal, mas vai abrir outros orizontes a todos vocês. Tem alguns filmes que falam a respeito dos espiritos tais como: E se fosse verdade, Um espírito atras de mim, gost etc . Como sugestão pediria a todos que lesem os livros dos espiritos e o livro dos médiuns, eles vam ampliar seus horizontes e vão lhe mostrar que talves isso não seja uma esquizofrenia e sim uma mediunidade que precisa ser orientada. Um abraso a todos.

denise - 23 de dezembro de 2014

Olá! Gostei muito do site. Sei que é um lugar onde vou poder trocar experiências e falar das minhas angústias… Agora gostaria de saber se vocês me indicam algum grupo de apoio, tanto para a família como para o portador do transtorno, aqui em Belo Horizonte.
Um abraço!

Editor do Portal - 10 de janeiro de 2015

Denise, procuramos sempre atualizar a pagina sobre grupos de auto-ajuda e não temos conhecimento de nenhum em BH, embora acredite que existam. Sugiro procurar nos hospitais e nos CAPS, os endereços você encontra em nossa pagina em Atendimento. Se tiver conhecimento de algum grupo, nos envie, pois temos o interesse de divulgar para o maior número de pessoas possíveis. Um abraço e boa sorte!

renivera andrade de oliveira - 18 de fevereiro de 2015

Gostaria de saber informação sobre um teste que é feito para descobrir a medicação adequada. esse teste segundo médicos é feito com a saliva .

Editor do Portal - 19 de fevereiro de 2015

Olá Renivera, sim, são testes de farmacogenômica, que estudam a resposta do paciente aos diferentes medicamentos com base em informações genéticas (metabolismo diferenciado a cada substância, diferenças entre genes de receptores/neurotransmissores). Pode ser feito com saliva, sangue ou qualquer material com células integras em que seja possível extrair o DNA. Ainda é um teste caro para uso corriqueiro e ele também não é uma garantia de resposta àquele medicamento, pois a genética não é a única variável na resposta a um medicamento. Para maiores informações leia a matéria http://leonardopalmeira.com.br/website/?p=1946. Um abraço!

franklin - 13 de março de 2015

Olá, obrigado pelo espaço, tenho um filho de 13 anos que foi diagnosticado com esquizofrenia hebefrenica, ele fala só o tempo todo e tem uma grande confusão mental, faz atualmente tratamento com resperidona, mas o médico disse que será necessário substituir, pois além de não ter resolvido em relção a ele esta totalmente controlado ele constatou um aumento na prolactina,, estamos em pânico , pois apesar de não esta 100 por cento controlado ele consegue dormir bem e frequentar a escola . O médico falou em mudar pra quetiapina. Oque o sr. acha peço encarecidamente a opinião de quem esta lendo.

Roberta - 18 de outubro de 2015

Francklin, td bem? Nem sei se vai ler esse comentário, mas mesmo assim me sinto bem em fazê lo. Quanto às medicações de sua filha digo que as conheço muito bem, mas não acredito que risperidona, ou seroquel, quetiapina, irão ajudar de forma eficaz, no máximo se conseguirá forte sedação e um tipo efeito zoombie, mas não funcionará na tentativa de um resultado de uma pessoa equilibrada e capaz e produtiva. Em resumo, não te deixará satisfeito e feliz e nem tão pouco a ela, que é quem mais sofre. Indo direto ao ponto: aripripazol (consegue por incrível que pareça, em farmácias populares de alto custo, sem dificuldade, desde que apresentados todos documentos _ a parte burocrática. E outro medicamento, incomparável, é o invega sustenna, se tiver condições de pagar , comprar, todos os meses, sendo que a 1a injeção (1o uso) deverá te um intervalo de 1 semanas para imediato uso da 2a injeção, após, uso mensal. Certa de que a garota e vc , logo nos três primeiros dias verão, sentirão mudanças muito boas. E já no 1o mês terão de volta sensações boas é uma renovação de expectativa e enxergarao felicidade e gratidão nos olhos da corajosa garota. Sinceramente, lhes desejo àquilo que desejam para ela. Espero ter contribuído, ainda que demore um pouco. “A amiga invisível, rs…..brincadeira, pra quebrar o gelo. Abçs

Roberta - 18 de outubro de 2015

Correção: **O garotO.

ana - lisboa - 19 de abril de 2016

gostaria de ler mais informacao, obrigada.

Rosangela - 8 de fevereiro de 2017

Olá bom dia . Minha filha procurando sintomas de uma pessoa alterada me enviou esse site onde li os comentários. Estou desesperada com prestes a fazer 22 anos com esquizofrenia, pois confesso não estou sabendo lidar com a situação, pois ele não aceita ajuda de ninguém nem mesmo ir à um médico pra ver o que possamos fazer estou desesperada mesmo pois tenho mais dois menores se alguém puder me ajudar , me passando alguma orientação qualquer tipo de ajuda é bem vinda . Meu email : Oliveirarosangela100@gmail.com desde já agradeço a todos.

Add your comment