Blog

Blog

Jovem artista diagnosticada com esquizofrenia desenha suas alucinações.

Editor do Portal 20 de abril de 2017 Blog 18 comments
featured image

Kate tem 18 anos e descobriu há um que tem esquizofrenia. “Sempre fui uma artista, só que nunca notei o que isso significava até que essa doença apareceu”, afirma.

news_003 “Eu desprezo o termo ‘doente mental’. Isso implica que quem eu sou como pessoa é fundamentalmente corrompido e quebrado. Infelizmente, assim que eu digo às pessoas o que eu tenho, sinto que isso é tudo que eles vêem. Eles enxergam o estigma perpetuado pela mídia e os estereótipos imprecisos retratados em Hollywood. É precisamente por isso que eu sou tão aberta sobre o que eu vivo”, relata.

Para ajudar a lidar com a esquizofrenia, Kate decidiu começar a desenhar as suas alucinações. “Nas minhas alucinações, eu ouço vozes, efeitos sonoros, ruídos aleatórios e, muitas vezes, vejo insetos, rostos e olhos estranhos”, relatou.

“Eu alucino com insetos frequentemente e minha depressão várias vezes me faz sentir como se eu fosse sem valor, como uma mosquinha. Faço desenhos para relatar essa parte da doença também”, afirma. Para acompanhar o trabalho de Kate, é só seguir @awkwardapostrophe no Instagram.

Confira na galeria:

news_004

news_005

news_006

news_007

news_008

news_009

news_010

news_012

news_011

news_013

news_014

18 comments

Dilma Coelho - 21 de abril de 2017

Tenho um filho portador de esquizofrenia, ele teve dois infartes e um AVC. Atribuo parte desses acidentes ao uso do Geodon 40 mg + Luvox 100 mg pela manhã e 80mg a noite. Quase que diariamente ele tem crises de ansiedade, fica com o corpo agitado, quase tremendo, as pernas se batendo, nessa hora ele toma Frontal 0,5.
Existe uma forma de eliminar essa agitação do corpo dele, além do frontal?

Dilma Coelho - 21 de abril de 2017

Bem interessante a matéria, dessa menina. Ela teria um medicamento que a ajudasse. Será que os medicamento alterariam as visões dela? Seria uma alternativa temporária ou permanente? Meu filho desenha muito bem, teve desenhos publicados pela Rio Gráfica, fez capa de livro, etc e perdeu totalmente o interesse.

João Antônio Cunha Alvim Gomes - 21 de abril de 2017

Os efeitos colaterais de remédios indicados podem estabilizar, mas possuem contra-indicações severas. É importante continuado acompanhamento médico e hemogramas mensais.O melhor tratamento é conversar sempre com o paciente, valorizando-o, principalmente, as pessoas da .família.

noely raphanelli - 22 de abril de 2017

dilma, você está certa de que os infartos tem a ver com o medicamento?
quantos anos tem seu filho? O meu toma um medicamento de ponta, mas sempre me preocupei com isso..

Dilma Coelho - 22 de abril de 2017

Olá Noely. é uma atribuição minha pois, o próprio medicamento cita uma contra indicação, para quem teve infarto recente. Não sou psiquiatra e nem cardiologista, estou apenas imaginando. . Ele tem 49 anos. Com o AVC ele perdeu parte da memória. Qual o medicamento de ponta que seu filho utiliza? Ele tem esse problema de ficar com tremores?

Sandra Rangel - 22 de abril de 2017

Que incrível o que essa jovem descreve! Pintores clássicos pintaram telas muito além dos devaneios dela. Seriam eles esquizofrênicos? Tem um filho diagnosticado com esquizofrenia grave. Ele é cego ( glaucoma congênito) Faltavam 4 períodos para terminar o curso de direito. Atualmente toma medicação que o faz dormir o dia todo. Como isso me consome! Gostaria tanto que ele produzisse , mesmo que fossem suas alucinações.

noely raphanelli - 22 de abril de 2017

Obrigada por responder. O medicameAripiprazol (Aristab).Na bula, quase não há efeitos colateraise ele tem boa saúde física, embora tenha engordado mais de 20 k por conta dos medicamentos anteriores a este. Agora, está difícil perder peso, mesmo porque ele come de maneira errada. Mas já soube de uma pessoa de cerca de 40 anos que morreu de infarto, mas creio que tomava medicamentos convencionais para esquizofrenia.

Dilma Coelho - 22 de abril de 2017

Em razão do infarto, gastrite, úlcera, AVC, 4 stents, ele está sendo controlado na alimentação. Ele não pode engordar. Ele toma em torno de 20 comprimidos por dia, manhã, almoço e noite. Recente ele fez consultas e exames, no gastro, clínico, neurologista e os médicos disseram que ele está bem, precisou apenas de vitamina D. Fez o Doppler mas ainda não chegou o resultado. Além dos medicamentos receitados inclui complexo B, Vit. C. Um protetor para o Fígado. Ele mora sozinho, não fala comigo, embora eu dê toda a assistência possível a ele, com a ajuda do meu filho mais velho e uma senhora, que estou pagando para levar os medicamentos na hora certa e um lanche e jantar. Ele almoça num restaurante próximo onde ele mora.
Muito obrigada a você, por ter respondido o meu comentário e me dado a oportunidade de comentar um pouco mais. Que idade seu filho tem? O Rafael, este é o nome dele, iniciou um processo de depressão após a morte da irmã. Fizemos um tratamento e ele fez um concurso e passou. Quatro anos depois o pai faleceu e ele voltou a entrar em depressão. Foi aposentado aos 38 anos por depressão grave e cinco anos depois foi diagnosticado com Esquizofrenia. Ele morou comigo até aos 45 anos.
Que idade seu filho tem?
Um grande e carinhoso abraço.

Daildo - 23 de abril de 2017

Descobri aos 32 anos que Infelizmente tenho esquizofrenia assim que eu descobri parecia que o meu mundo tinha acabado, mas fui levando e consegui trazer todos os sintomas para perto e as vezes falar com eles e tentar separar o real do imaginário , e isso me fez sentir melhor e me controlar. digo às pessoas o que eu tenho. Eles enxergam e pensam o que quiserem , vejo que há muito preconceito as vezes somos tratados com todo tipo de estereótipos, já acho até normal. Já escrevi um livro contando minha historia e nele tem um texto que converso com os vultos e vozes que por ironia quer perturbar a minha paz. “Confira um dos meus textos quando estava alucinado”.
Às vezes vejo vultos
Procuro e não encontro
Não consigo perceber
Perco-me entre um vulto e outro
Às vezes chego a me ensurdecer com os gritos
Gritos são esses de um enorme silencio
De quem são esses gritos, a eu sei.
Esses gritos são meus que vem de dentro do meu eu
Dentro de mim há uns vazios só gritos que quebram um silencio
Dos vultos que está em um vai e vêm ao alcance dos meus olhos, vultos que só eu percebo.
Estou me procurando para ir comigo mesmo atender a voz que me chama
Ao meu redor tem uma multidão de vultos que não é companhia
Então continuo só pensando em mim que pensa que esta perdido
Mais com a certeza irá te encontrar como eu assim me encontro
Mesmo assim eu estou só.
TEXTO DE :
Daildo Magalhaes.

noely raphanelli - 23 de abril de 2017

Boa tarde,Dilma!

que caminhada difícil a sua!
Meu filho tem 27 anos e é apegado comigo, apesar de alguns altos e baixos..não desisto dele.Tenho fé que vai encontrar o ponto de equilíbrio. O caso dele é leve e nunca mais ouviu vozes, nem saiu de casa sem destino.ele aprendeu a entender os sintomas.Tenho esperança de melhora.
Grande abraço e escreva quando precisar desabafar e trocar ideias.
Boa semana

Noely

Dilma Coelho - 23 de abril de 2017

Oi Noely. Tenhamos esperança sempre. Também não desisto do meu filho. Agradeço diariamente, pois tudo poderia ser pior.
Um grande e carinhoso abraço.

noely raphanelli - 23 de abril de 2017

Vamos nos falando sempre que for possível. Grande abraço

Sarah - 24 de abril de 2017

Dilma, Noely e Daildo – tenho uma página no facebook chamada: Filhos Amados e Esquizofrênicos. Lá, abordo muito sobre a doença, com vídeos muito interessantes e matérias diversas, inclusive sempre as do Dr Leonardo Palmeira. Lá, podemos trocar muitas informações.

Daniel Velloso - 24 de abril de 2017

Oi queridas Dilma e Noely!
Desculpa, mas li a conversa de vocês. Eu tenho 31 anos, tomo Zyprexa, Paroxetina e Alprazolam. Uso essas medicações há quase 20 anos e nunca tive nenhum problema sério como um infarto ou AVC.
Porém, é importante fazer exercícios ou regular a alimentação!

Beijos

http://www.danielvelloso.com

Viviane - 24 de abril de 2017

Daildo, Dilma e Noely, tem uma página no Facebook destinada as mães de esquizofrênicos e portadores de esquizofrenia também, é interessante para trocar experiências, desabafar, apoio mútuo. O nome é “Filhos Amados e Esquizofrênicos”. Caso queiram fica a sugestão.

Daildo - 26 de abril de 2017

Olá Viviane fui visitar a pagina que você me indicou dei uma olhada vai ser muito útil para trocar ideias e até desenvolver algo, eu gosto de escrever ai vou postar lá

noely raphanelli - 26 de abril de 2017

GRata pela sugestão. vou ler.
Abraço

noely raphanelli - 26 de abril de 2017

Zyprexa é um excelente medicamento, senão o melhor em termos de resultado. O problema é que engorda demais.Mas que bom que está bem!. Exercícios físicos e alimentação equilibrada é o segredo da qual
idade de vida.Meu filho come muito erradamente e não consigo fazê-lo mudar, embora ele tenha plena consciêencia de que está tudo errado. que mais posso fazer senão esperar que acorde?

Add your comment